terça-feira, 5 de julho de 2016

Isto dos conselhos tem sempre muito que se lhe diga...

Quando alguém me vem pedir um conselho/opinião/whatever sobre a vida amorosa, não consigo evitar o pensamento que sou a pessoa mais errada para isso. Primeiro, porque não tenho sido propriamente o gajo mais sortudo do mundo nesse aspecto - e um "radar de gajas decentes" que passa muito tempo avariado e depois dá merda. Depois, porque quem priva comigo sabe que eu sou todo coração, sou pelo risco, sou de me atirar de cabeça. Mas nem toda a gente é como eu - ainda bem, eles é que são espertos (costumo dizer que perco mais do que ganho)! Há pessoas mais racionais, que ponderam mais, que não se atiram de cabeça.

E, na verdade, todos nós damos conselhos com base na forma como vemos o mundo. E todos vemos o mundo de forma diferente. Por isso, o que para mim pode parecer um excelente conselho, aos olhos de quem mo pediu pode parecer um conselho de merda. Porque é um conceito muito subjectivo. Cada um de nós avalia as coisas com base nos seus valores, nos seus ideais, na forma como vê os outros e o mundo.

Acho que, ainda assim, o melhor conselho que posso dar é sempre na onda do "faz o que eu digo, não faças o que eu faço". Normalmente eu sou um péssimo exemplo, a minha vida está recheada de tiros ao lado.

2 comentários:

  1. Sou daquelas pessoas racionais, que pensa mil e uma coisas antes de fazer. Na vez em que não o fui deu certo..atirei-me completamente de cabeça, fiz tudo ao contrário do que costumava fazer ou seria "suposto".
    Os conselhos por vezes ajudam-nos q ouvir aquilo que sabemos mas não queremos.. o melhor é sermos nós próprios.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não há ciências exactas :) já eu, sou todo coração. Ajo muito sem pensar - por isso é que já me lixei muitas vezes xD

      Eliminar

Real Time Web Analytics