quarta-feira, 15 de junho de 2016

Há 2 anos fomos passar férias ao Brasil... Será que agora vamos passar férias a França?!

Bem sei que estou em falta com muita gente, entre e-mails para responder e blogs para visitar. Mas as últimas 2 semanas foram intensas. Primeiro em diversão, ao ir a casa no meu aniversário (foram só 4 diazinhos, mas foram do caraças!!!). Depois em trabalho (e também alguma diversão, vá). Daí andar mais ausente. Mas prometo que nos próximos dias irei responder a todos os e-mails e passar pelos blogs.

O que hoje me leva a escrever é a azia monumental em relação à Selecção Nacional de Futebol.

Primeiro, a malta já devia ter aprendido a não cantar de galo (quanto mais não seja, depois de 2014...ainda hoje me rio ao lembrar entrevistas a adeptos que diziam que a final do Mundial seria Brasil-Portugal!). A tesão de mijo resulta sempre num velho ditado português: a montanha pariu um rato. Segundo, acho inacreditável a falta de apoio no estádio. Os islandeses estavam em clara minoria, e ainda assim só se ouvia o apoio deles. Se os emigrantes se preocupassem menos em ir para a porta das unidades hoteleiras em histerismo com o Cristiano Ronaldo e se lembrassem que o apoio mais importante é no estádio...... Terceiro, que opções vergonhosas.

Nem sei por onde começar... Devo começar pelo facto de se deixar no banco o melhor lateral direito da Premier League (Cédric) para jogar o Vieirinha? Devo começar pelo facto de se pôr a jogar Moutinho (que esteve parado por lesão grande parte da época e que está em baixo de forma) e se deixar no banco jogadores como Rafa Silva ou Adrien Silva? Devo começar pelo facto de se pôr João Mário a jogar na ala esquerda, posição na qual não está rotinado, uma vez que joga ou pelo meio ou pela direita? E ainda posso continuar pelo facto de Danilo fazer um jogo miserável (perdeu TODOS os duelos no ar que disputou) e ainda assim jogar os 90min... E ainda posso continuar com a novela Quaresma, que justificava a titularidade e que, supostamente, a teria perdido devido a lesão, mas no fim do jogo o mesmo veio dizer que não foi titular por opção técnica...

E ainda há outro facto gritante. Sem qualquer clubismo... Mas um seleccionador com olhos na cara aproveita SEMPRE as rotinas que vêm dos clubes. A base da Espanha campeã europeia (2008 e 2012) e mundial (2010) vinha do Barcelona (e também do Real Madrid). A base da Alemanha campeã mundial (2014) vinha do Bayern de Munique. A base da actual Itália é a Juventus. E quem não se lembra de 2004? Scolari, então seleccionador de Portugal, depois do desaire com a Grécia no jogo inaugural, decide apostar na espinha dorsal do Porto que tinha ganho a Champions (Deco, Maniche e Costinha) e ganhou consistência. Fernando Santos deve ser o único seleccionador do mundo que desperdiça uma espinha dorsal tão consistente como o meio-campo do Sporting... William Carvalho, Adrien e João Mário são jogadores que jogam de olhos fechados - inclusive os dois últimos fizeram a sua melhor época de sempre! Este facto torna-se ainda mais gritante se pensarmos que, até há 1 ano atrás, mais jogadores tinham rotinas a jogar juntos, pois eram TODOS titulares indiscutíveis no Sporting: Patrício, Cédric, William, Adrien, João Mário e Nani.

Outra coisa igualmente inacreditável foi a quantidade de bolas pelo ar... A Islândia é uma equipa com estatura bem superior à nossa (do 11 inicial, 9 tinham mais de 1.85m). Porquê insistir, tantas vezes, em jogo directo, sem critério? O mesmo se aplica em relação aos cantos. Insistiram demais nas bolas pelo ar, em vez de fazerem cantos curtos, com jogadas estudadas. Mas esta malta estudou mesmo a equipa da Islândia, ou estas semanas de estágio serviram para quê?! Onde é que estava a preparação do jogo?!

Epá, não sendo propriamente um grupo "piners" (a Islândia chutou a Holanda para fora do Euro, na fase de qualificação!), mas temos um grupo bem acessível. Tínhamos a obrigação de passar a fase de grupos. Mas, para variar, temos sempre que complicar as coisas e andar de calculadora na mão. Claro que facilitava imenso se o Fernando Santos deixar de inventar...

2 comentários:

  1. Espero que sinceramente não sejam umas mini férias em França. A mim pareceu-me que o trabalho de casa não foi muito bem feito...espero que sejamos melhores no próximo jogo.

    E pegar numa estrutura, tendo os jogadores disponíveis, é sempre preferível. Há mais rotina de jogo entre esses jogadores. Relativamente ao Quaresma sou suspeita, sempre gostei dele como jogador e se realmente não existiam limitações físicas porquê ficar no banco depois de um jogo daqueles, não entendi. Mas gosto do Fernando Santos, portanto tenho esperança que faça umas melhores decisões no futuro...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Fernando Santos é um gajo porreiro. Mas acho que ainda não percebeu que já não está a treinar a Grécia, mas sim Portugal. Temos uma nova geração de miúdos muito talentosos (abaixo dos 25 anos, temos João Mário, William Carvalho, Cédric Soares, Bernardo Silva, Raphael Guerreiro, Rúben Semedo, Paulo Oliveira, Rafa Silva, Renato Sanches, Iuri Medeiros, André Silva, e tantos outros). Se as opções (quer na convocatória, quer a nível táctico) fossem bem feitas, tínhamos potencial para fazer boas competições. Veja-se a caminhada dos sub-21 no ano passado, por exemplo. Mas infelizmente o Fernando Santos não me parece o gajo mais inteligente para mudar o que devia mudar, e também para romper com alguns interesses instalados - onde é que Renato Sanches merece jogar mais do que Adrien ou Rafa?

      E o jogo com a Islândia foi claramente mal preparado. Insistir no jogo aéreo mostra isso mesmo.

      Eliminar

Real Time Web Analytics