segunda-feira, 16 de maio de 2016

Os deuses do futebol foram injustos...

As olheiras na minha cara denunciam a noite mal dormida. Ontem foi um dia intenso e difícil de digerir. 

Ontem até tinha acordado muito bem disposto. Acordei a cantarolar "quero o Sporting campeão", o que até surpreendeu os meus colegas de casa, uma vez que não sou propriamente um tipo falador ao acordar. Estava bem disposto e depois do banho equipei-me a rigor, de t-shirt e cachecol. Roupa cuidadosamente escolhida para não ter nem um rasgo de vermelho e para ter o máximo de verde possível - não sou supersticioso em mais nada, só no futebol. No Youtube ia ouvindo em loop as várias músicas do Sporting. Às 15h30, já estava com os colegas com os quais tinha combinado ver a bola. 3 colegas sportinguistas (um deles, colega de casa também), que ontem achámos melhor não haver ajuntamento com outras cores. Caracóis, cerveja e futebol. O PC do meu colega ligado à TV, com o stream do Sporting. O meu PC, na mesa, com o stream do Benfica, para ir espreitando. Estava na hora!

Quando Teo Gutierrez inaugurou o marcador aos 21min, já havia polémica na Luz, com um penalty a favor do Nacional que não tinha sido assinalado (17min). Começava a palhaçada. Com 0-0, aquele penalty podia ter mudado a história do jogo. Mas pronto, siga, enorme festejo com o golo de Teo. Naquele momento, o Sporting era virtual campeão nacional. Mas 2min depois, Gaitan inaugura o marcador na Luz. Balde de água fria. Mas ainda havia esperança. 1-0 é um resultado que pode sempre virar. Aos 33min, o Sporting faz o 0-2. Estava a fazer o que lhe competia: ganhar. Aos 39min, novo balde de água fria, mais um golo na Luz... Ao intervalo, um dos colegas já não quis saber de mais nada e foi-se embora. Já eu, saltitava entre a razão e o coração... Já sabia que o título estava entregue, mas queria manter em mim a esperança de um milagre, de uma reviravolta épica por parte do Nacional. Quando o Benfica marcou o 3-0, foi a gota de água. Desliguei o stream do Benfica, saí da sala e não quis ver o resto do jogo do Sporting. Desliguei o telemóvel, fechei-me no quarto, headphones nas orelhas e pus-me a jogar GTA com o volume no máximo, antecipando-me à tortura da festa alheia. 

Não liguei a TV, não vi programas desportivos (costumo ver o Play-Off ao domingo), nem sequer andei na net. Tudo aquilo me doía como nunca. Não me lembro de ter sofrido tanto como ontem, em questões de campeonato (Taça UEFA em 2005 é outra história). Confesso, sem vergonha, que ainda me caíram umas lágrimas. Sentia-me injustiçado, no fundo... Às tantas lembrei-me do meu pai. Foi ele que me ensinou o que é ser do Sporting, foi ele que me ensinou a história do clube, foi ele que me fez gostar de futebol, foi com ele que passei as comemorações das duas vezes em que vi o Sporting ser campeão (o título de 1999/2000 então foi épico!). E as lágrimas foram mais intensas por momentos...

Não querendo passar por injusto em relação a outras épocas de bom futebol, mas julgo (se a memória não me atraiçoa) que este foi o melhor Sporting que me lembro de ver. Nem nas duas últimas épocas em que fomos campeões praticámos tão bom futebol. E é isso que faz doer. Isso e o futebol sofrível do Benfica em mais de metade da época... Mas isso fica para outro post...

Ontem, hoje e amanhã, enalteço a qualidade da equipa. Orgulho imenso pela prestação nesta época. Voltaremos em Agosto, mais fortes que nunca!

(música de 2015, aquando a conquista da Taça)



"Vou ter no mínimo 5 filhos e tudo verdinho
Por mais que não tenha
Os troféus do vizinho
Vou-lhes contar as histórias dos 5 Violinos
Vou-lhes contar o que me contaram
Enquanto eu crescia
Conhecer a história do Sporting
É uma regalia"

Sem comentários:

Enviar um comentário

Real Time Web Analytics