quarta-feira, 18 de maio de 2016

Agora será tempo de Europeu

Costumo dizer que é difícil encontrar um sportinguista mais ferrenho do que eu. Sou doido pelo Sporting desde que me lembro de ser gente. Mas acima de tudo, sou um apaixonado por futebol. Adoro futebol, adoro falar sobre futebol, adoro ver futebol. Mas com olhos de ver, sem palas. Infelizmente, a clubite aguda cega muita gente. Ao ponto de hoje acabarem a contradizer por completo as opiniões que defendiam há 5/6 meses atrás. E é por isso que nos próximos tempos vou "fechar para obras" e tão depressa não falo sobre o Sporting, sobre o Benfica, sobre Rui Vitória, sobre Jorge Jesus, sobre Luís Filipe Vieira e sobre Bruno de Carvalho. Perdi a paciência para a clubite cega. E começo seriamente a perder a paciência para a forma como muita gente vê e vive o futebol. Há demasiados "atrasados mentais" por esse país fora. Tenho o máximo respeito por benfiquistas, tenho ZERO respeito por lampiões.

E como estamos a entrar em altura de Europeu, é para aí que vou apontar. Os convocados de Fernando Santos não são consensuais, mas são (na generalidade) previsíveis. Quem tem estado atento às convocatórias na fase de qualificação e nos jogos particulares, facilmente conseguiria chegar à lista de 23 eleitos.

Se fosse eu a escolher, mudaria algumas coisas. Sobretudo no eixo central da defesa, que parece um lar da 3ª idade. Acho que Daniel Carriço já merecia a chamada à selecção, é titular no Sevilha, equipa que venceu as últimas 3 edições da Liga Europa. E tenho pena que Paulo Oliveira, em virtude da lesão que sofreu, tenha perdido o lugar no Sporting na segunda volta do campeonato. Se tivesse continuado a jogar, teria sido uma óptima hipótese. Mas tendo em conta a baixa forma actual, percebe-se. Rúben Semedo, ainda está verde e acredito que será mais útil na selecção olímpica, mas não me chocaria se tivesse sido seleccionado, sobretudo porque daria mais velocidade. Na lateral esquerda, chateia-me ter que levar com o pino do Eliseu. Mas depois da lesão de Coentrão, não havia grandes alternativas. Ainda assim, espero que Raphael Guerreiro seja titular. No meio-campo, a surpresa acaba por ser Renato Sanches, em virtude da lesão de Bernardo Silva. Pessoalmente, teria apostado em Pizzi para substituir Bernardo. Acho que o Renato Sanches é demasiado verde para estas andanças e seria mais útil na selecção olímpica, com jogadores de faixa etária mais dentro da sua. Mas enfim, a influência de Jorge Mendes já é sobejamente conhecida, e enfim, pois que tem que justificar o investimento de 35 milhões no Bob Marley da Musgueira :P E Pizzi, pela época que fez (para mim foi um dos melhores jogadores do Benfica esta época), merecia ir ao Euro. Na frente de ataque, outro pino: Éder. Já nem há palavras... 

Não estou nada confiante para este Europeu, como já vem sendo habitual. O nível exibicional tem sido fraquinho. Acredito que passamos a fase de grupos, porque o grupo é fácil. Mas acho que apanhando depois uma selecção mais a sério, borramo-nos todos... Mas vamos lá ver... Gostava de estar enganado... Mas esta selecção já não faz vibrar nem cria esperanças como em 2004 e 2006. E com algumas escolhas, muito menos... Acredito que no Mundial 2018, reformando a 3ª idade e aproveitando os miúdos que se têm destacado nas selecções jovens, as coisas podem correr melhor. Havemos de ter matéria-prima de qualidade. Já não falando em certezas, como já são João Mário, William, Danilo, Bernardo Silva, Rafa e André Gomes... E até Paulo Oliveira, André André, Pizzi... Temos ainda as jovens promessas: Iuri Medeiros, Rúben Semedo, André Silva, Rúben Neves, o próprio Renato Sanches (se lhe derem tempo de crescer, em vez de estarem a pôr pressão), e outros tantos.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Real Time Web Analytics